18 de dezembro de 2010

Antiquado, antigo, velho... ou talvez não!

Hoje acordei com esta música na cabeça:



É uma música de que eu gosto particularmente, tem uma boa onda, é mexida e é da banda sonora de uma trilogia de filmes que adorei, ainda hoje gostava de ter um DeLorean graças ao Regresso ao Futuro.


Quanto ao facto da música ter quase trinta anos e de eu gostar dela faz com que eu me sinta velho, antiquado... não! Apenas representa o meu ter bom gosto. É como o facto de a rádio que eu mais oiço no carro ser a M80, mais vale ouvir grandes êxitos e boa música dos anos 70, 80 e 90 do que ouvir repetidamente os mesmas músicas pop que nos cansam o cérebro.


Por isso e por tudo o resto deixo-vos com o "Poder do Amor" que nesta altura ainda deve estar a tocar... desfrutem!

26 de novembro de 2010

As crianças vêem, as crianças fazem!



Vi este vídeo no Facebook e não pude deixar de o publicar aqui.

Eu não penso muito nisto, mas reconheço algumas das minhas "más" acções ou atitudes nos meus filhos. Infelizmente ajo mais do que penso e por vezes não corre bem. Era bom se houvesse uma máquina que me desse um choque cada vez que eu estivesse prestes a ter uma atitude menos boa ou a dar um mau exemplo aos meus filhos, mas essa máquina não existe e o único mecanismo que tenho de combate é a minha consciência que normalmente só me aborda quando é tarde, tem um problema em chegar a horas, chega sempre atrasada!

Educar os nossos filhos não é fácil porque para os educarmos temos que nos educar a nós próprios em muitos aspectos, e isso é... difícil!

Muitas vezes são eles que nos educam a nós.

16 de novembro de 2010

A trabalhar é que se está bem

Muitos perguntarão o que é que estou para aqui a dizer, mas cada vez me convenço mais do título deste post.

Tive nas duas últimas semanas a doença a pairar no meu lar!

Primeiro foi o Guilherme com uma virose1 e ficou comigo em casa uma semana, repartindo essa estadia com a casa dos avós sempre que necessário.

Depois foi o Vasco com uma otite que na semana a seguir ao Guilherme também passou uma semaninha com o papá.

No final da semana de convalescença do Vasco eis que eu começo a ficar com febre, dores de garganta, dores de cabeça,..., coincidindo com as minhas folgas. Passei o primeiro dia doente, no segundo fui ao Centro de Saúde a uma consulta de Urgência2 em que para meu espanto fui atendido vinte minutos antes da hora, pena foi ter sido tão bem atendido que o médico quase não olhou para mim, devem estar a preparar-se para consultas online, visto que além de não me examinar, diagnosticou de pouco olhar para mim que o meu estado devia-se a uma situação viral e receitou-me um expectorante para uma expectoração que não tinha e que ainda não tenho.

Dado isto eu concluo que no SNS estão a trabalhar para o futuro no que diz respeito à eficiência, o doutor atendeu dois adultos e uma criança em menos de dez minutos, todas da mesma maneira, ou seja, pouco olhou para nós. Já estão em fase avançada da consulta online, só falta pôr online! O doutor pensou no meu futuro porque me receitou um medicamento para a expectoração que, lá no fundo ele sabia, algum dia eu hei-de ter!

Após isto fui trabalhar e os sintomas passaram-me todos.

Para a próxima quando me começar a sentir doente peço para fazer turnos duplos, passa-me logo a doença!


1 Doença da moda nos tempos que correm!
2 Devo dizer que fiquei espantado com a celeridade e facilidade com que me marcaram a consulta e com que fui atendido, afinal o Serviço Nacional de Saúde não é tão mau como se pensa!   

4 de novembro de 2010

Marry me?

Não fazemos anos de casados. Não fazemos anos nem meses de namoro. Não é uma ocasião especial...
Apetece-me dizer que estou feliz com o casamento, com o meu casamento, casava-me novamente as vezes que fossem precisas, porque gosto, porque amo. porque és TU. Obrigado, por ti!

Numa garrafa de vinho porque o nosso casamento é como uma boa garrafa de vinho, com os anos vai ficando melhor. Também vamos ficando mais "embriagados", mas isso acho que é por causa dos "acrescentos" e da  idade que teima em aumentar!

AMO-TE.

22 de outubro de 2010

Para o G.

EU AMO VOCÊ.

Quando souberes ler, eu sei que te vais rir!

Palavras queridas - Javardo

Há palavras que, não sei se pela sua sonoridade, se pela maneira que são escritas, se porque sim, eu Gosto.

Palavras, nomes de cidades, lugares... a partir de agora abro aqui uma nova rubrica neste blog, as "palavras queridas" em que além de pôr o significado e/ou alguma história da palavra faço um pseudo ensaio sobre a mesma.

A palavra de hoje é JAVARDO, muitas vezes confundida com Jabardo, que não existe.

javardo
s. m.
1. Javali.
2. Fig. Homem bruto e mal asseado.
adj.
3. Diz-se de uma variedade de trigo.
4. Nojento.


Eu costumo aplicá-la, principalmente, com o sentido do ponto número dois.

Post feito com recurso ao site Priberam.

cinco da manhã

São quase cinco horas da manhã e ainda me falta uma hora e meia para sair...trabalhador sofre!

Ainda por cima vai ser assim até domingo, mas nem tudo está perdido, estou a ver o jogo de futebol entre o Sporting e o Rio Ave da época passada pela segunda vez!

8 de outubro de 2010

Mortadela

Este post é sobre algo que me faz comichão... o deturpar da língua portuguesa!

Eu, tive a sorte de ter tido sempre excelentes professoras nesta área, sendo, sem dúvida, as duas mais importantes a D. Dolores no primeiro ciclo e a professora Paula Carmelo que me acompanhou no terceiro ciclo e no secundário1. Os meus pais também tiveram o seu papel ao proporcionar-me sempre acesso a toda a informação disponível além de eles próprios me tirarem sempre todas as dúvidas que me surgiram ao longo do meu percurso escolar.

Esta introdução serve apenas para dizer que considero que tenho um bom domínio da língua portuguesa, oral e escrita e que dou poucos ou nenhuns erros.

Por essa razão custa-me ser todos os dias bombardeado com erros de português em todo o lado.

Por isso e também por essa razão, vamos voltar ao título...
mortadela (é)

s. f.
Grande chouriço fabricado na Itália, particularmente em Bolonha, com carne de porco e de boi

Este é um dos clássicos, por alguma razão grande parte da população pronuncia esta palavra com o n a seguir ao a e muitas vezes escreve2!

treze (ê)

adj. 2 gén. pl. num. card.
1. Doze mais um. (Substitui o numeral ordinal décimo terceiro: Luís treze, Leão treze.)
s. m.
2. O número treze.
3. O décimo terceiro dia do mês.

Este é outro clássico. Não se pronuncia treuze nem trelze, apenas treze. Escreve-se e lê-se da mesma maneira, qual a dificuldade?

salsicha

s. f.
1. Linguiça; chouriço.
2. Rastilho de mina.

Não é salchicha, está lá um s, não ch. A única explicação que eu tenho para esta palavra é a proximidade que nós temos de "nuestros hermanos", esses sim escrevem e pronunciam salchicha!

Outro erro recorrente acontece na conjugação do verbo haver. O normal seria dizer " tu hás-de fazer isto" ou "...eles hão-de fazer isto" conjugando o verbo no Presente do Indicativo, na segunda pessoa do singular e na terceira pessoa do plural, respectivamente. O que ouvimos muito por aí é "tu há-des fazer isto" ou "eles há-dem fazer isto"!

Todos estes erros se devem, muitas vezes, falhas no ensino em alguma fase do percurso escolar, outras não. O que é certo é que estamos sempre a aprender e podemos corrigir erros que demos no passado.

A mim faz-me confusão, mas isso sou eu!  :-)

Mais facadas no português haverá, neste momento estas são as principais que me ocorrem, em caso de necessidade far-se-á um novo post.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

1 sim, tive a sorte de ter a mesma professora do 7º ao 12º ano, 6 anos seguidos! 
2 esta pérola que aparece na fotografia, foi observada e instantaneamente captada numa grande superfície, lá para os lados de Tavira, durante as minhas férias. Em conjunto com este post vou enviar um e-mail para a empresa de modo a que corrijam este erro. A ver vamos se para o ano ainda lá continua!





Este post foi elaborado com recurso ao Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.

28 de setembro de 2010

Aparte

A partir de hoje e após uma crítica construtiva1 vou escrever os meus apartes "de metro" no final do texto do post para melhor compreensão do mesmo e para não se perderem na leitura. Por isso vou fazer referência ao aparte na zona da frase em que ele se encaixa.

aparte (àp)
(à + parte)
s. m.
1. O que um actor! diz simulando falar consigo ou como se só fosse ouvido pelo público.
2. Frase isolada com que se interrompe quem fala. = comentário, parêntese
3. Observação marginal feita no meio de um discurso pelo orador. = comentário, parêntese


Post feito com recurso ao Dicionário Priberam da Língua Portuguesa Online.


1 - Obrigado T.

27 de setembro de 2010

Bola


Como ainda não vejo, observo, mastigo, respiro... o suficiente do "desporto rei" arranjei um novo hobby. Levar o primogénito aos treinos de futebol! Possivelmente há quem se pergunte, como eu perguntei: Assim tão novo, já há futebol para ele?




Pois é, há escolinhas de futebol (chamam-lhes escolinhas porque os meninos que jogam lá são pequeninos, jogam com bolinhas, têm camisolinhas,etc, pronto! Não sei porque é, mas já estou a divagar) a partir dos 4 anos. Ao contrário do que se possa pensar têm muitas crianças e, pelo menos aquela escolinha (que para já é a única que conheço, mas quando abrir o mercado de Inverno, possivelmente e com o potencial que o meu rapaz tem para a bola deve ser assediado para outros clubes, outras escolas, e eu como pai, tutor e empresário dele terei que estudar as propostas, nacionais e do estrangeiro!) parece relativamente organizada.




Recapitulando, após e durante o Mundial 2010 o Guilherme ganhou algum gosto pelo futebol, que foi intensificado pela caderneta do Mundial e pelo equipamento de Portugal que o avô lhe deu nos anos.




Após isto, e devido à nossa afinidade com membros do Clube surgiu a hipótese de ir experimentar um dia os treinos, situação essa que, nós fomos adiando mas o atleta nunca esqueceu, relembrando-nos até à semana passada, dia em que tivemos oportunidade de o levar aos treinos.




Após alguns momentos de renitência e vergonha, como é próprio do Guilherme, e como já estávamos no Clube fui saber informações e se havia possibilidade de experimentar os treinos. Fui encaminhado para o mister Tiago, responsável no relvado, e depois com o mister Tiago fomos ter com o mister João que é o responsável por "aturar" os meninos da idade do Guilherme (diz-se misstér e não da forma inglesa que tentei ensinar ao meu filho após ele me ter corrigido. Aprende bem e depressa o dialecto do futebol!). Devo dizer que ambos foram extremamente simpáticos, atenciosos e conseguiram transformar a vergonha usual e inicial do Guilherme em "fome de bola", dai para a frente foi vê-lo a correr, saltar, chutar, qual Messi ou Cristiano Ronaldo, ali estava Guilherme, o craque, conforme podem comprovar no vídeo que se segue, da minha autoria, sim, porque a Sport TV ainda não estava lá para registar o feito!!
video
Devo dizer que neste vídeo existem alguns pormenores técnicos de valor, o controle de bola, uma rabona a ele próprio, a potência do remate a mudança de velocidade, mais se veria se a qualidade do vídeo não fosse de um mísero telemóvel.




21 de setembro de 2010

Novo design

Sim, é verdade. Este blog está, como se diz, de "cara lavada".

Já estava a precisar!

Não

Não... Aí está uma palavra que digo vinte a trinta vezes ao dia, numero esse que aumenta consoante aumenta o número de horas que passo com os meus filhos.
Não batas no teu irmão, não mexas aí, não subas à cadeira, não faças porcaria, não batas no teu irmão outra vez, não, não,não...
Eu até nem sou uma pessoa negativa mas desde que tenho filhos que começaram a andar, a interagir um com o outro, com o resto do mundo e do ambiente que os rodeia tornei-me no mister Não. Não porque queira mas porque não consigo evitar (vêem?!).
Há sempre várias técnicas para contornar esta situação. Pode-se não ligar e fingir que não é nada connosco (o que não é prático quando existe a eminência de partir um vidro, um copo, cair de cima de uma cadeira, arrancar alguns cabelos ao mano...). Podemos tentar substituir o advérbio por algo tipo... isso mesmo, por muito que tente praticar essa técnica não consigo! Pode-se tentar uma qualquer técnica budista zen e dizer (com uma voz segura, palavras espaçadas e num tom baixo) alguma coisa do género: "Vais magoar o teu irmão, liberta-o dos teus braços e abraça-o com amor fraternal, vamos todos contemplar o cosmos!", como ainda não atingi o Nirvana, nem os meus filhos, esta é uma técnica que ponho pouco em prática, mas o Buddha que me aguarde!
Com tudo isto não desanimo porque os meus filhotes vão crescer (nesta altura está a mamã a ler isto e a pensar: Infelizmente! ;-) ) e vão fazer mais aquilo que nós pedimos, vão brincar sempre juntos sem chatices, vão... pronto não vão nada que eu ainda sou assim com os meus irmãos e já tenho mais de trinta anos...mas eu gostava!

Para finalizar devo dizer que usei dezanove vezes o advérbio maldito... Não posso! Vinte!


não 
(latim non)

adv.
1. Partícula negativa oposta à afirmativa sim.
2. De modo nenhum. (É algumas vezes partícula expletiva.)
s. m.
3. Recusa; negação.
Plural: nãos.


Com a pesquisa no dicionário da palavra não tomei uma decisão, a partir de agora só direi aos meus filhos: De modo nenhum!!

Este post foi elaborado com o apoio do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, Wikipédia aqui e aqui, e do Microsoft Office Word 2007 que foi muito útil para contar os nãos.

Actualização: Vinte e quatro nãos...Vinte e cinco! está a chegar ao limite da sua quota diária...

20 de setembro de 2010

Ressuscitou...

Após alguma reflexão e alguns pedidos de leitores este blog vai ressuscitar!!

Vou tentar actualizá-lo (ou atualizá-lo, se usarmos o novo Acordo Ortográfico!) numa base, no mínimo semanal, é algo que propús a mim mesmo e que espero cumprir... a ver vamos.

Obrigado a todos os que sentiram falta deste espaço.

20 de março de 2010

Primavera


A primavera já está aí... pelo menos no meu bairro!

7 de março de 2010

Chegar a casa

A parte boa é que vão os dois a dormir e assim ficarão pelo menos uma hora, a parte má é que temos que os levar até casa, e eles já não são propriamente levezinhos! Já para não falar desta situação quando está um de nós sozinho, aí sim é complicado.

5 de fevereiro de 2010

Nomes que o Guilherme dá aos peixes

A acompanhar a lista que apareceu aqui do lado direito deste blog com os nomes dos peixes que frequentam a nossa casa (na sua totalidade dados pelo Guilherme) vou aqui tentar fazer uma análise a esses mesmos nomes.


Ora, o primeiro foi o PEIXE MERRA, nome originado num peluche, de seu nome SAPO MERRA, que era um sapo (raciocínio difícil, hein!).

Em português corrente e vagueando pelos dicionários do ciberespaço não existe tal termo, alargando a pesquisa ao Google descobri o Epinephelus merra (nome científico), um peixe (sim, um peixe!) descoberto em 1793 pelo senhor Marcus Elieser Bloch. Descobri também que a o sinónimo em português do nome deste peixe é Garoupa Panaleira, sim, fui ver a uma base de dados fidedigna.
Já estou a imaginar:

"-...então João tens um cão e chama-se Rex, e tu Guilherme?
- Eu tenho um peixe e chama-se Garoupa Panaleira..."
Acho que prefiro o primeiro, Peixe Merra.
© Erik Schlögl
Links:



No que respeita ao PEIXE MUTA, o segundo espécimen com que cohabitámos e que veio em simultâneo com o Peixe Merra, encontrei a palavra muta em Tétum (língua malaio-polinésia falada em Timor-Leste) que significa Vomitar (expelir, geralmente alimento em digestão, pela boca).

Aqui também o nosso filho demonstra um vasto conhecimento de outras línguas e dialectos, mas, ao mesmo tempo, conhece factos tão triviais da nossa vida como o acto de regurgitar..., bom!

Como devem calcular não vou ilustrar este parágrafo com uma imagem, acho que todos nós temos más recordações...


Quanto ao terceiro e penúltimo peixe, até agora, o PEIXE PIRU, podemos sempre associá-lo ao perú, mas dada essa associação não ser a mais correcta levou-me a alargar o espectro da minha busca, encontrando os seguintes significados:
  • Linguagem infantil para o órgão sexual masculino (Português do Brasil)
  • Espírito maligno na mitologia finlandesa
  • Clube de Hóquei de campo da Finlândia (SC Piru)

Visto tanto o primeiro com o segundo item poderem ferir susceptibilidades aqui fica uma fotografia dos rapazes do SC Piru, fotogénicos por sinal.

(se quiserem cliquem em cima da fotografia, fica muito melhor)


"Last but not least", o PEIXE CARICA, de seu nome não dos mais interessantes, mas sem dúvida o mais resistente, até agora! Visto não haver muitas dúvidas relativamente ao que é uma carica posso dizer que, historicamente falando, a carica foi inventada em 1891 por William Painter em Baltimore, EUA e patenteada em 1892.

A empresa que começou a produção das caricas era originalmente chamado de Bottle Seal Company, mas, devido ao sucesso quase imediato do seu produto, mudou seu nome para Crown Cork and Seal Company. A empresa ainda é chamada, informalmente, por esse nome, mas é oficialmente Crown Holdings. A empresa ainda sobrevive, produzindo muitas formas de embalagens.

A carica foi o primeiro produto descartável de grande sucesso (pode ser novamente fechada, mas não facilmente). Isto inspirou King C. Gillette a inventar a lâmina de barbear descartável, quando ele era um vendedor para a Crown Cork Company.

Descobri também que há coleccionadores de caricas, isto há malta para tudo!! (também é verdade que há gajos que escrevem estes posts!!)



No final deste post só posso concluir uma coisa: Se e quando tivermos outro filho(a) já sei a quem vou pedir ajuda para escolher o nome!

Não posso deixar de referir a colaboração vital que tanto o Google com a Wikipedia tiveram para o infeliz desenvolvimento deste post.

1 de fevereiro de 2010

Jantar de Família

No sábado tivémos um jantar da Família Bernardo, com primos, tios, avós, pais, netos, namorados,... com muita animação como acontece sempre num encontro Bernardo.

Este jantar surgiu da excelente ideia do Tio Tó de juntar a família pelo menos uma vez por mês, aparte das festas.

Devo dizer que foi um serão muito bem passado, o jantar estava muito bem organizado (desta vez calhou ao primos solteiros, que tiveram tempo, inclusivé, de dar um tema ao jantar, foi um jantar indiano, marroquino, e por aí), havia muita comida, bebida, sobremesas, e para mim o melhor foi a chicha, fartei-me de fumar daquilo. Mesmo com os rapazes (que adormeceram devido ao cansaço) ficámos lá até tarde. Foi muito bom, para ilustrar a boa onda do jantar deixo aqui umas fotos. Mal posso esperar pelo próximo jantar... As famílias precisam é de combíbio!!




Boa ideia Tó e excelente execução, "solteiros"!!

Família a aumentar... (Parte 2)

Pois... Apesar de muitos esforços da nossa parte não conseguimos salvar o peixe Piru, apesar de ter comprado medicamentos que custavam 4 vezes o preço dele e de rapidamente ter iniciado o tratamento, não deu. Após alguns dias com algum sofrimento o peixe Piru entregou a alma ao Criador.

De manhã o Guilherme ainda pensou que o Piru estava a dormir, mas tivémos que lhe explicar que já estava muito doente e que possivelmente não iria resistir. E assim foi, mas como eu sou casmurro, nesse dia de manhã lavei o aquário, preparei tudo (pedras, água e tratamentos para tudo e mais alguma coisa) e aí fomos nós (eu e o Vasquinho) de manhã comprar mais um inquilino para a nossa "maison"!

Após ter estado durante 20 minutos a observar os peixes de água fria de modo a escolher um que resista ao ambiente "piscicolamente" difícil e adverso que é a nossa casa (começo cada vez mais a pensar nisto, e ao mesmo tempo inventei uma palavra nova, oba!!), após o Vasquinho ter posto os cães a ladrar, os pintassilgos em stress e ter causado um possível AVC a uma tartaruga , após a brasileira que me estava a atender já estar farta de mim até aos cabelos... lá me decidi! Escolhi um peixe mais pequeno, amarelo e cheio de vitalidade.
Chegámos a casa e depois de ter cumprido à risca todos os passos para evitar o stress e as doenças para o peixe lá o soltei no seu novo habitat e... parece que gostou! Nadou, nadou, o possível num áquário de 5 litros! 

Quando o Guilherme chegou, explicámos-lhe que o peixe Piru nos tinha deixado, e que para colmatar essa falta o papá tratou logo de arranjar um substituto. Pensámos que ele fosse fazer alguma fita mas não, ele aceitou bem e tratou logo de dar um nome a este novo amigo:
!PEIXE CARICA!
E assim continua a nossa saga aquática... e agora, cenas dos próximos capítulos! ;)


21 de janeiro de 2010

Familia a aumentar...

Para todos os que pensavam que o Guilherme e o Vasco vao ter um mano um uma mama desenganem-se!

Ainda falta algum (muito) tempo para que nós pensemos nisso! É apenas a apresentação do peixe Piru, o mais recente membro da família há cerca de uma semana. Há uns tempos fizémos uma tentativa com os saudosos peixe Merra e o segundo falta-me o nome, esta memória já nao é o que era! (actualização: a memória da minha esposa ainda está aí para as curvas, o segundo era o peixe MUTA!) Estes dois nunca foram apresentados porque só duraram 2 dias, nem deu para a foto da praxe.

Quanto ao peixe Piru é uma espécie alentejana, só gosta de estar parado no seu canto e apenas esboça algum movimento uma vez por dia, para comer! A Tânia está sempre a ver se ele se morto. É o chamado peixe pausa!

9 de janeiro de 2010

Serra da Estrela

Sei que este post já vem um bocadinho atrasado (9 de Janeiro) mas... não podia deixar de pôr aqui umas fotografias dos nossos 15 minutos de estadia no alto da Serra da Estrela.
Estava um frio de rachar e tanto nós  como os meninos estávamos a gelar, deu para andar um bocado em cima da neve, tentámos fazer um boneco e pronto, pisgámos para o quentinho do carro para descongelar, mas lá fora era assim.

6 de dezembro de 2009

Natal!

Está oficialmente aberta a época de Natal cá em casa! Aproveitem a foto porque deve ser dos únicos momentos em que esta imagem harmoniosa com a árvore e o presépio estará presente. É que o Vasquinho já anda a rondar as imediações! ;)

30 de novembro de 2009

Dia de sol!


Num dia raro como este, se estivermos quase em Dezembro, nao podia deixar de vir beber café ao meu local de eleição, quando estou a trabalhar.
E olhem que sabe mesmo bem!

13 de novembro de 2009

(Abraço)

Não sabem o quanto é bom chegar a casa para jantar e os meus dois filhos correrem para mim, a dizer papá, para me abraçar assim que entro em casa... simplesmente único.

Escusado será dizer que foi mais um momento tenho uma lagrima no canto do olho - Bonga. Qualquer dia tenho o agente do Bonga a bater-me à porta a pedir-me direitos de autor!
Não há nada a fazer, sou um "sentimentalão" no que toca à minha família... e ainda bem!

Ahh! E sim, O Vasquinho já anda, corre, sobe, trepa, cai,..., e tudo, e tudo, e tudo. Os meus dois filhotes estão uns crescidos!

9 de novembro de 2009

o Toque

Ando a pensar fazer este post há algum tempo, mas fico sempre preso na escolha das frases, expressões e palavras que vou utilizar, ainda por cima, propositadamente neste post não vou ter a bengala das imagens. Mas aqui vai...




o Toque, ou os Toques de que quero falar hoje também podiam ser apelidados de trejeitos, de hábitos, de ternuras.




Venho falar da sensação boa que é ter o Guilherme, o meus filho mais velho, a fazer-me festinhas na nuca onde acaba o cabelo quando está cansado ou tem sono e normalmente está ao meu colo, venho falar de como é bom ter o Vasco, apenas com um ano, a encostar a cabeça ao meu ombro quando "está cansadinho e quer dormir" ou a fazer festinhas na cara, em vez daquelas festas mais brutas...

Qualquer uma destas sensações é única, imcomparável e emocionante... são sempre daqueles momentos como num post mais antigo tenho uma lagrima no canto do olho - Bonga. Qualquer destas sensações me faz dar graças a Deus em ter dois filhos lindos e uma mulher maravilhosa que em conjunto comigo tornou possível estas duas dádivas.




Os filhos são algo inexplicável no que toca a sentimentos, sensações,..., e quando toca a surpreender-nos emocionalmente lá estão eles para o fazer a torto e a direito... e é bom!

28 de outubro de 2009

Parabéns, Tia Zé!

Hoje é dia de dar os parabéns à Tia Zé que faz 95 anos... sim, não me enganei, é mesmo 95. Por muito que eu não consiga alcançar com a minha visão cronológica mais do que os meus míseros 30 anos (que são menos de 1/3 da idade da Tia Zé) tenho que dizer que 95 anos é muita fruta!

Socorrendo-me da internet consegui saber que no longinquo ano de 1914 (quando a Tia Zé nasceu) começou a 1ª Guerra Mundial, ia a meio a Revolução Mexicana, foi feita a primeira transfusão não directa de sangue usando anticoagulantes, acabou a "Partilha da África" feita pelos países europeus e que tinha começado em 1880...
Para mais ver aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/1914

Voltando à Tia Zé, devo dizer que eu nunca fui o seu sobrinho preferido e ela nunca foi a minha tia preferida, mas não posso deixar de lhe fazer uma homenagem neste dia, à sua longevidade, à sua maneira de viver a vida, sem se acomodar, sempre de um lado para o outro e resta-me desejar-lhe uma vida boa, dure ela o tempo que durar...

...mas nada me tira que o facto de ela ter uma idade tão extensa se deve ao facto de ser solteira!

14 de outubro de 2009

Obras em casa


Com o Guilherme doente em casa aproveitamos logo para fazer umas "obras"!

7 de outubro de 2009

Compras e carrinhos


Já experimentaram ir às compras com o(s) filho(s)? 

No nosso caso, e como ilustra a foto, não temos hipótese de comprar muita coisa por falta de espaço, o que é sempre bom para não gastar muito dinheiro!

Com a variante de dois filhos existe a temática da escolha do lugar, logo no início da aventura, quem vai no "poleiro" e quem vai dentro do carro, temática essa que costuma ser problemática e normalmente resolvida "a ferros". 
Nestas situações e, aproveitando para fazer a sugestão aos hiper e supermercados, deveria haver carrinhos de compras com dois "poleiros", de preferência em pontas opostas do carrinho. Resolvia o meu problema pelo menos!

Já em pleno acto de exercer o dever das compras, sempre com pouco tempo para o fazer, existem sempre dois mandamentos fundamentais. Nunca ter carrinho a menos de um metro das prateleiras e andar sempre rápido, muito rápido, parando apenas para o estritamente necessário.

Por fim e para terminar em beleza temos a caixa, esse paraíso de pastilhas, chupas e chocolates, em que não conseguimos cumprir o mandamento do metro de distância e temos normalmente de arranjar distrações ou ocupações enquanto pomos as compras no tapete e pagamos à funcionária.

Esta explicação/orientação/desabafo serve na óptica dois pais, dois filhos, não sei e não pretendo saber como é só com um progenitor! 

Se quiser ainda temos à venda os guias com as variantes compras ao sábado/ domingo à tarde e compras no primeiro dia de férias! Publicidade, eheh!!


Resumindo, ir às compras com filho(s) é sempre uma aventura, mas uma aventura já é ter os filhos por si só... e não deixa de ser lindo!

1 de outubro de 2009

Intelectual


Tão pequenino e jà a dar uma de intelectual!

27 de setembro de 2009

Concerto dos Xutos & Pontapés



Pois é, os filhotes deram-nos folga e nós, em vez de descansarmos fizémo-nos à estrada e fomos ao concerto dos 30 anos dos Xutos & Pontapés no Estádio do Restelo. Há uns anos que não iamos a um concerto, por isso foi bom, especialmente porque foi um extraordinário concerto dos Xutos e Pontapés, que deu músicas de toda a carreira, desde o início até agora ao último álbum.

Os Xutos são uma banda que me dizem muito, a começar pelo facto de terem a mesma idade que eu, de já ter um numero considerável de presenças em concertos deles tendo-me iniciado nessas lides pela mão deles no longinquo ano de 1996. Têm músicas com muito significado e com muita força...

Resumindo, são uns senhores, não... são os SENHORES dá música nacional e ontem deram um concerto memorável, mesmo.

Para ilustrar aqui ficam umas imagens...
















Já em debandada geral...




Nesta noite acompanharam-nos o JB, a Inês e o João Pedro. Ao JB obrigado pelo incentivo e pelo convite, aos "Peixotos" obrigado pela companhia e pela boleia e não posso deixar de agradecer à Maria pelos bilhetes.

26 de setembro de 2009

30 anos dos Xutos


Augura-se um bom concerto. Agora tocam os Tara Perdida, potente!

25 de setembro de 2009

"Fomos ao Jesus..."


Ontem fomos à Igreja e o Vasco teve que explorar o espaço, a paz e a calma poucas vezes habitam nele (e ainda bem que é assim, está na idade) e aquele que costuma ser um espaço de reflexão e oração tornou-se num espaço de exploração, especialmente porque estava vazia, aquilo é que foi gatinhar, foi o início da "caminhada de fé" do Vasco, e que caminhada!

18 de setembro de 2009

Persistência - o grande final


Legenda: o auge, o grande objectivo:
"Chamar a música, a música, tê-la aqui tão perto..."
Digam là se o rapaz tem ou não jeito para a coisa! ;)

Persistência - parte 4


Legenda: o momento de consagração, como se de um pódio se tratasse.

Persistência - parte 3


Legenda: o aceno de adeus em desprezo! Se falasse dizia: Aha! Consegui e não precisei da tua ajuda, toma!!

Persistência - parte 2


Legenda: Eu vou conseguir "caraças"! (com choro de raiva)

Persistência - parte 1


Legenda: Eu não consigo, ajuda-me!

17 de setembro de 2009

Vasco!

Legenda:
 1 segundo antes de me tirar o telemóvel da mão e de o atirar contra o móvel.

É para verem o quão calminho e bem comportado é o nosso Vasquinho, safa!

Depois de um primeiro filho calmo dizem que damos mais pela actividade, normal de um bebé, no segundo filho. Pelo menos foi o que a pediatra disse! E nós damos por isso, ai se damos!

P.S.- o telemóvel sobreviveu, senão não estava a escrever este post. :)

11 de setembro de 2009

Televisão...

Mais um dia interminável em frente à televisão... Literalmente!

5 de setembro de 2009

Andar - Parte 2

No dia que dei aquele passeio a andar lembrei-me: e que tal vir para o trabalho a pé? Era bom, era de gajo valente... e aí está, hoje vim a pé, pela fresquinha, saí às 07:00 de casa e às 07:30 já estava a sentar-me no meu local de trabalho. Fiz quase 3 km sem dar por eles, mais uma vez vou sempre observando coisas que no dia-a-dia não reparo. Deu também para perceber que aquela hora já há muitas pessoas na rua, mais do que eu pensava, ah povo trabalhador!
Mais uma vez para comprovar aqui vai o mapa do percurso, mais uma vez com a colaboração do Google Maps.

Quase a chegar...

4 de setembro de 2009

Madrugada

Acordar de madrugada para ir trabalhar tem às suas coisas boas...

3 de setembro de 2009

Andar

Aí está uma coisa que há muito não fazia, nas férias comecei a pôr em prática, mas é sempre difícil com as crianças, e agora descobri o que fazer à hora de almoço: ANDAR!
Havia um professor meu, de quando eu frequentava o curso de Geografia, que dizia que a andar é que se conhece uma cidade, um bairro, um lugar, e é verdade, hoje andei um bocadinho (ver mapa em baixo) e descobri um monte de coisas que desconhecia ou que andava à procura. Descobri a Marina do Parque das Nações que começa finalmente a tomar forma, descobri um restaurante japonês que andava a tentar "caçar" há uns tempos e agora que já sei onde é, um dia destes hei-de lá ir, ao lado do restaurante japonês bebi café num café/padaria simpático que também desconhecia, reparei que toda a zona do outro lado da linha do comboio que já não pertence ao Parque das Nações e que parece um cemitério de edíficios e fábricas demolidas, semi-destruídas, abandonados que cohabitam paredes-meias com a zona do Parque das Nações em que há um constante número de edifícios em construção que não diminui por causa da suposta crise.

Chego à conclusão que é bom andar, não só me faz bem ao físico (que bem precisa!) como faz bem à mente, por isso, vou continuar a andar!


E agora para comprovar o percurso feito por mim em 40 minutos da minha hora de refeição aqui vai um mapa (com a colaboração do Google Maps) para ilustrar o feito, afinal foram 3,19 km...

1 de setembro de 2009

1º dia de trabalho a seguir às férias


Nao há nada como um bom café, numa boa esplanada para sobreviver a um mau 1º dia de trabalho a seguir a umas excelentes férias. Obrigado pela descoberta do local ao João, Inês e à Marina, fico a dever-vos uma.

31 de agosto de 2009

Entre amigos...

Aqui fica a foto para a posteridade de mais uma tarde bem passada na companhia de alguns amigos. João, essa "postura" fica-te bem! ;) É pena que o tempo não estique, porque a conversa, essa estica-se e bem!