8 de outubro de 2010

Mortadela

Este post é sobre algo que me faz comichão... o deturpar da língua portuguesa!

Eu, tive a sorte de ter tido sempre excelentes professoras nesta área, sendo, sem dúvida, as duas mais importantes a D. Dolores no primeiro ciclo e a professora Paula Carmelo que me acompanhou no terceiro ciclo e no secundário1. Os meus pais também tiveram o seu papel ao proporcionar-me sempre acesso a toda a informação disponível além de eles próprios me tirarem sempre todas as dúvidas que me surgiram ao longo do meu percurso escolar.

Esta introdução serve apenas para dizer que considero que tenho um bom domínio da língua portuguesa, oral e escrita e que dou poucos ou nenhuns erros.

Por essa razão custa-me ser todos os dias bombardeado com erros de português em todo o lado.

Por isso e também por essa razão, vamos voltar ao título...
mortadela (é)

s. f.
Grande chouriço fabricado na Itália, particularmente em Bolonha, com carne de porco e de boi

Este é um dos clássicos, por alguma razão grande parte da população pronuncia esta palavra com o n a seguir ao a e muitas vezes escreve2!

treze (ê)

adj. 2 gén. pl. num. card.
1. Doze mais um. (Substitui o numeral ordinal décimo terceiro: Luís treze, Leão treze.)
s. m.
2. O número treze.
3. O décimo terceiro dia do mês.

Este é outro clássico. Não se pronuncia treuze nem trelze, apenas treze. Escreve-se e lê-se da mesma maneira, qual a dificuldade?

salsicha

s. f.
1. Linguiça; chouriço.
2. Rastilho de mina.

Não é salchicha, está lá um s, não ch. A única explicação que eu tenho para esta palavra é a proximidade que nós temos de "nuestros hermanos", esses sim escrevem e pronunciam salchicha!

Outro erro recorrente acontece na conjugação do verbo haver. O normal seria dizer " tu hás-de fazer isto" ou "...eles hão-de fazer isto" conjugando o verbo no Presente do Indicativo, na segunda pessoa do singular e na terceira pessoa do plural, respectivamente. O que ouvimos muito por aí é "tu há-des fazer isto" ou "eles há-dem fazer isto"!

Todos estes erros se devem, muitas vezes, falhas no ensino em alguma fase do percurso escolar, outras não. O que é certo é que estamos sempre a aprender e podemos corrigir erros que demos no passado.

A mim faz-me confusão, mas isso sou eu!  :-)

Mais facadas no português haverá, neste momento estas são as principais que me ocorrem, em caso de necessidade far-se-á um novo post.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

1 sim, tive a sorte de ter a mesma professora do 7º ao 12º ano, 6 anos seguidos! 
2 esta pérola que aparece na fotografia, foi observada e instantaneamente captada numa grande superfície, lá para os lados de Tavira, durante as minhas férias. Em conjunto com este post vou enviar um e-mail para a empresa de modo a que corrijam este erro. A ver vamos se para o ano ainda lá continua!





Este post foi elaborado com recurso ao Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.
Enviar um comentário