5 de fevereiro de 2010

Nomes que o Guilherme dá aos peixes

A acompanhar a lista que apareceu aqui do lado direito deste blog com os nomes dos peixes que frequentam a nossa casa (na sua totalidade dados pelo Guilherme) vou aqui tentar fazer uma análise a esses mesmos nomes.


Ora, o primeiro foi o PEIXE MERRA, nome originado num peluche, de seu nome SAPO MERRA, que era um sapo (raciocínio difícil, hein!).

Em português corrente e vagueando pelos dicionários do ciberespaço não existe tal termo, alargando a pesquisa ao Google descobri o Epinephelus merra (nome científico), um peixe (sim, um peixe!) descoberto em 1793 pelo senhor Marcus Elieser Bloch. Descobri também que a o sinónimo em português do nome deste peixe é Garoupa Panaleira, sim, fui ver a uma base de dados fidedigna.
Já estou a imaginar:

"-...então João tens um cão e chama-se Rex, e tu Guilherme?
- Eu tenho um peixe e chama-se Garoupa Panaleira..."
Acho que prefiro o primeiro, Peixe Merra.
© Erik Schlögl
Links:



No que respeita ao PEIXE MUTA, o segundo espécimen com que cohabitámos e que veio em simultâneo com o Peixe Merra, encontrei a palavra muta em Tétum (língua malaio-polinésia falada em Timor-Leste) que significa Vomitar (expelir, geralmente alimento em digestão, pela boca).

Aqui também o nosso filho demonstra um vasto conhecimento de outras línguas e dialectos, mas, ao mesmo tempo, conhece factos tão triviais da nossa vida como o acto de regurgitar..., bom!

Como devem calcular não vou ilustrar este parágrafo com uma imagem, acho que todos nós temos más recordações...


Quanto ao terceiro e penúltimo peixe, até agora, o PEIXE PIRU, podemos sempre associá-lo ao perú, mas dada essa associação não ser a mais correcta levou-me a alargar o espectro da minha busca, encontrando os seguintes significados:
  • Linguagem infantil para o órgão sexual masculino (Português do Brasil)
  • Espírito maligno na mitologia finlandesa
  • Clube de Hóquei de campo da Finlândia (SC Piru)

Visto tanto o primeiro com o segundo item poderem ferir susceptibilidades aqui fica uma fotografia dos rapazes do SC Piru, fotogénicos por sinal.

(se quiserem cliquem em cima da fotografia, fica muito melhor)


"Last but not least", o PEIXE CARICA, de seu nome não dos mais interessantes, mas sem dúvida o mais resistente, até agora! Visto não haver muitas dúvidas relativamente ao que é uma carica posso dizer que, historicamente falando, a carica foi inventada em 1891 por William Painter em Baltimore, EUA e patenteada em 1892.

A empresa que começou a produção das caricas era originalmente chamado de Bottle Seal Company, mas, devido ao sucesso quase imediato do seu produto, mudou seu nome para Crown Cork and Seal Company. A empresa ainda é chamada, informalmente, por esse nome, mas é oficialmente Crown Holdings. A empresa ainda sobrevive, produzindo muitas formas de embalagens.

A carica foi o primeiro produto descartável de grande sucesso (pode ser novamente fechada, mas não facilmente). Isto inspirou King C. Gillette a inventar a lâmina de barbear descartável, quando ele era um vendedor para a Crown Cork Company.

Descobri também que há coleccionadores de caricas, isto há malta para tudo!! (também é verdade que há gajos que escrevem estes posts!!)



No final deste post só posso concluir uma coisa: Se e quando tivermos outro filho(a) já sei a quem vou pedir ajuda para escolher o nome!

Não posso deixar de referir a colaboração vital que tanto o Google com a Wikipedia tiveram para o infeliz desenvolvimento deste post.
Enviar um comentário